top of page
  • Foto do escritorJéssica Caroline

XX+XY: UM DRAMA SOBRE AMAR, NÃO IMPORTA AS DIFERENÇAS


Ah eu confesso que estou muito feliz hoje enquanto faço essa resenha. Eu estava muito ansiosa para assistir esse minidrama e comentar um pouco aqui sobre ele e minha oportunidade finalmente chegou.


XX+XY é um minidrama sul coreano. Ele é um daqueles projetos O'PENing que a TVN/TVING lança de tempos em tempos. São uma série de histórias curtas lançadas em sequência, mas que não tem relação entre elas.


XX+XY foi o primeiro minidrama desse estilo que me chamou a atenção. Ele conta a história de Jung Jaeyi (Ahn Hyuho), uma pessoa intersexo (o que antes de forma errônea era chamado de hermafrodita) que mora com a mãe, o pai e o namorado do pai. Sim, você não leu errado. E eles formam uma família completa e feliz.

Os pais de Jaeyi nunca impuseram uma escolha a ela/ele e sempre a/o deixaram livre para fazer suas escolhas. Mas agora na adolescência, Jaeyi está determinada/o a se descobrir, por isso decide parar de ter aulas em casa e passa a frequentar o colégio em busca de ganhar experiência e criar laços.


Na escola, Jaeyi vai estudar com sua única melhor amiga que conhece sua condição, a fofa Sera (Kim Jiin). E vai dividir a carteira diariamente com Bang Wooram (Choi Woosung) (esse aqui nunca errou, e se errou, deu certo do mesmo jeito).


Porém, nem tudo são flores na vida de Jaeyi, e ele/ela sabe bem disso, por isso terá que enfrentar com coragem e determinação alguns problemas sérios por conta de sua condição pessoal.

Feitas as considerações iniciais vamos destrinchar um pouco mais as coisas.


Para mim o único defeito desse drama é que ele é muito curto. Tem tanta história para contar e tantos temas interessantes, que seria incrível um drama completo aqui. Mas para a Coreia do Sul, um país tão conservador, esse minidrama já foi um grande avanço.


Como eu já havia falado anteriormente, Jaeyi é uma pessoa intersexual e aqui vai a primeira pausa, pessoas intersexo nascem com características sexuais (incluindo genitais, gônadas e padrões cromossômicos) que não se encaixam nas típicas noções binárias de corpos masculinos e femininos. Podem ser heterossexuais, gays, lésbicas, bissexuais ou assexuais. Também podem se identificar como mulher, homem, ambos ou nenhuma das duas coisas.

Pois, por conta dessa condição, Jaeyi é abandonada/abandonado na maternidade pela mãe biológica. É então que ela/ele é adotada/adotado pela médica obstetra que fez o seu parto, Dra. Han Sooyoung (Shim Yiyoung).


Aqui vai a nossa segunda parada. A Dra. Sooyoung é assexuada. Os assexuais são pessoas que não têm a sexualidade orientada nem para hétero, nem para homo, nem para bissexualidade – não sentem atração sexual nenhuma e vivem muito bem assim. Simplesmente, não sentem necessidade de fazer sexo.


Ela até tentou ter alguns relacionamentos, mas nunca deu certo, até que em uma noite ela conhece Jung Yeonoh (Yoon Seohyun) e Moon Taehyun (Song Yongjin). Eles namoram escondido, mas estão prestes a se separar por conta do preconceito. É então que a médica faz uma proposta a Yeonoh, eles se casam apenas para calar a boca da sociedade e de suas famílias e continuam mantendo suas vidas normalmente.

E é assim que a família de Jaeyi começa a se formar antes mesmo do seu nascimento. Cada um desses três tem uma personalidade diferente e escolhas diferentes. Mas baseado no respeito que um tem pelo outro e pelo amor que sentem, eles conseguem viver em harmonia e união, muito melhor do que muita família convencional por aí.


Jaeyi é muito amada/amado pelos pais adotivos Sooyoung e Yeonoh e pelo namorado do pai que ela/ele carinhosamente chama de "tio". Cada um deles tem papel fundamental na vida de Jaeyi, ajudando-a/o a tomar decisões e entender melhor seus sentimentos.


Falando em sentimentos, vamos para Lee Sera, a única e melhor amiga de Jaeyi. Sera é a única que conhece seu segredo. As duas/dois são melhores amigas/amigos desde criança e nada nunca afetou a amizade delas/deles.

Por conta da confiança que eles/elas têm, decidem ter a primeira relação sexual juntas/juntos. O que acaba não acontecendo. Mas também é muito legal ver o quanto as/os duas/dois são amigas/amigos. Eles/Elas confiam um/uma no/na outro/outra a ponto de se sentirem completamente seguros/seguras e ao mesmo tempo são honestos/honestas para colocarem os seus limites, como acontece quando Jaeyi sente que não está preparado/preparada para ter sua primeira vez com Sera.


Mas além de Sera, Jaeyi vai se aproximar muito do Wooram (definitivamente é impossível não amar esse menino). Wooram mora com os pais e três irmãs mais velhas. Como esse drama não tem medo de mostrar a realidade das coisas. Wooram sofre muito com as irmãs quando elas estão de TPM e por ser o caçula não tem um minuto de paz porque toda hora elas pedem para ele fazer alguma coisa para elas. Aqui tem uma vibe meio comédia.


Wooram é um garoto atrapalhado e fofo que também vai enfrentar algumas questões da adolescência enquanto vai crescendo e se descobrindo. Se o drama tivesse mais tempo, seria bem interessante também dar um pouco de destaque para ele na história. Afinal percebemos que Wooram está passando por um processo de tentar se entender e encontrar aquilo que realmente quer para sua vida.

Ao longo da convivência diária, Wooram começa a perceber que está se apaixonando por Jaeyi, mas ele começa a enfrentar um dilema pessoal, pois na sua cabeça, Jaeyi é um menino e ele nunca havia se interessado por um garoto antes.


Esse processo de "aceitação" leva Wooram a um nível de estresse que começa a afetar o seu físico, ao ponto dele desmaiar no meio da sala de aula. Mas ele é maduro o suficiente para perceber que a melhor solução é se abrir com Jaeyi e quando ele faz isso, o relacionamento dos dois melhora totalmente. Ele não impõe a Jaeyi nada, e Jaeyi começa a sentir confiança para lhe contar seu segredo.


Mas obviamente, a vida de Jaeyi na escola não é só facilidades e uma hora seu segredo é revelado para todos através de vídeos hackeados do seu computador. Jaeyi faz uma espécie de diário online em que coloca para fora seus pensamentos e opiniões sobre as coisas, e perversamente sua intimidade foi violada.

Eu confesso que queria ver esse desenrolar com mais detalhes. Porque nesse momento é possível notar vários comportamentos terríveis, mas infelizmente, muito reais.


Muitos alunos começam a fazer bullying com Jaeyi impedindo-a/o de entrar no banheiro masculino. Mas a pior parte é quando seu professor pergunta porque ela/ele não conseguiu esconder direito seu segredo.

Isso me deixou com muita raiva. Alguém havia hackeado o computador de um/uma aluno/aluna, espalhado um vídeo em que ele/ela revelava seus anseios e dúvidas, sem seu consentimento. Ou seja, ele/ela era uma vítima em todos os aspectos e ainda assim estava sendo acusado/acusada e condenado/condenada como se tivesse cometido um erro por nascer daquele jeito.


Mas como o drama é bem curtinho, essa é mais uma questão que se dissipa rapidamente, mesmo assim, eu sigo dizendo que XX+XY é um drama que vale a pena assistir. Com uma temática super diferente e que fala de vários temas interessantes e atuais.


723 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 則留言


Leticia Alves
Leticia Alves
2月09日

Queria muito q esse drama tivesse uma segunda temporada mas infelizmente sei que nunca terá😭😭😭

按讚
bottom of page