top of page
  • Foto do escritorK-Pop News

Grupos de K-Pop que já abordaram questões sociais ao longo de suas carreiras


O Kpop ajuda a transformar a vida de muitas pessoas. Muitos são os relatos, por exemplo de pessoas que estavam em situações difíceis encontrarem em diversas letras encorajadoras uma fonte de inspiração para seguir em frente e se tornarem pessoas mais felizes. Porém, não é só para encorajamento e felicidade que as músicas sul coreanas auxiliam. Muitos grupos usam de sua influência para levar à tona discussões sociais importantes para a sociedade, com o objetivo de quebrar tabus e romper com o preconceito dentro e fora do país. As questões sociais nada mais são do que uma série de abordagens que refletem sobre a desigualdade social. Todo o tipo de comportamento que na maioria das vezes é visto como “normal” por parte das pessoas. A temática das questões sociais vem com o objetivo de informar. São exemplos de assuntos abordados pelas questões sociais: o racismo, a desigualdade de gênero, a LGBTQIA+ fobia e questões relacionadas a nossa vida cotidiana, como o consumo exagerado e questões ambientais. E como é papel da arte ir além do entretenimento e fazer com as pessoas se questionem, alguns grupos de Kpop trouxeram certas destas reflexões para as suas músicas. Confira abaixo seis desses grupos, que fizeram de suas músicas e de sua influência artística, verdadeiros movimentos sociais para promoveram a reflexão e a tolerância:


B.A.P: O grupo formado no ano de 2011 pela TS Entertainment e possuía 6 integrantes em sua formação. Bang Youngguk, Moon Jongup, Yoo Youngjae, Himcham, Zelo, Jung Daehyun. E desde a sua estreia o sexteto já demonstrava interesse por debates sociais. Isso se dar, porque o líder do grupo até os dias de hoje é muito envolvido em assuntos relacionados a desigualdade social. O grupo sempre se mostrou atento a essas questões, um exemplo disso é One Shot, logo nos primeiros trechos existe uma referência ao ativista dos direitos negros Martin Luther King. Bang Youngguk canta nos primeiros versos: acenda a luz como Martin Luther King. E a própria letra da música já incita as pessoas a não aceitarem tudo como são, mas sim a protestarem e correrem atrás do que acreditam e não se acomodarem. Outro exemplo é Wake Me Up, a música fala sobre o despertar antes que seja tarde demais. Além de todo o mv possuir figuração ocidental, o que naquela época na Coreia era algo a ser reverenciado. Além de que na sua primeira linha de rap Bang Youngguk diz: Viva La Revolution (viva a revolução) uma expressão dita por Che Guevara um revolucionário e medico cubano. Inclusive o artista possui essa frase tatuada em seu corpo. E por fim temos Badman que em sua letra fala sobre a violência urbana e como as pessoas fazem guerra, com seu dilema de olho por olho, dente por dente. No mv fica claro essa violência e como a abordagem da polícia é violenta com pessoas negras. Em diversas declarações à imprensa, o artista disse que esse foi o objetivo do grupo, ser uma revolução, fazer as pessoas pensarem sobre a sociedade através da arte, suas músicas foram mensagens importantes contra o racismo e contra uma sociedade injusta, que não pode se acomodar jamais para os problemas do mundo.



ATEEZ: O grupo formado em 2018 pela KQ entertainment e conta com 8 integrantes: Kim Hongjoong, Park Seonghwa, Jeong Yunho, Kang Yeosang, Choi San, Song Mingi, Jung Wooyoung e Choi Jongho. Também aborda em suas músicas assuntos importantes para a sociedade. Os dois últimos lançamentos dos grupos demonstram uma evidente insatisfação contra o sistema de produção de músicas da Coreia Do Sul. Guerrilha já conta uma história sobre censura e a própria letra diz que se deve acordar e lutar, há uma parte em que diz: É assim que lutamos, agora vamos lutar, acorde o mundo. É forma de abordar como as pessoas vivem insensíveis a emoção e como o capitalismo como forma de produção tem atingido a música e as pessoas não se preocupam mais em fazer arte, mas sim apenas em ganhar dinheiro, onde as emoções são controladas e promove essa rebeldia de poder sentir novamente. Já em HALAZIA a letra fala de um raio de esperança em viver em meio a escuridão, o que pode ser associado a uma mensagem de esperança, a pessoas que não possuem mais perspectiva ou sentido em suas vidas. O próprio líder do grupo é envolvido em causas socias. Em muitas de suas fotos é possível ver a unha do seu dedo mínimo pintada, isso é porque ele participa da causa Polished Man que aumenta a conscientização sobre a violência contra crianças.



BTS: O grupo formado em 2013 pela Big Hit formado pelos sete integrantes: RM, Jin, SUGA, J-Hope, Jimin, V e Jungkook, também se mantém muito ativo e engajado em causas. O grupo é parceiro da Unicef desde 2017 quando lançaram a campanha Love Myself que combatia o bullying e promovia a autoestima, levando os artistas a fazerem um discurso na Assembleia Geral da ONU, por conta do lançamento do álbum Love Yourself: Her que transmitia uma mensagem de compreensão e união, o posteriormente levaria o grupo a lançar mais dois álbuns completos que pertenceriam a essa coletânea. Diversos líderes da ONU ouviram o grupo falar sobre a proposta desse álbum e como eles poderiam usar a sua influência para transmitir uma mensagem encorajadora. Anos depois o grupo lança o MV Permission to Dance como forma de animar as pessoas por conta da pandemia da pandemia do COVID-19 que ainda assustava o mundo, a letra diz que não se precisa de permissão para dançar, que não precisa se preocupar, que tudo vai ficar bem. E em maio de 2022 o grupo viajou aos Estados Unidos, para visitar o presidente Joe Biden com o objetivo de discutir o racismo contra asiáticos.



MAMAMOO: O grupo formado em 2014 pela RBW Entertainment com 4 integrantes: Solar, Hwasa, Moonbyul e Wheein são muito envolvidas com a causa feminista e da igualdade de gênero. Em AYA o mais recente do grupo a letra fala sobre um relacionamento toxico e como elas lamentam por ainda não terem o superado isso, mostrando que uma mulher deve superar um relacionamento ruim e não ter vergonha de falar sobre isso. Em Egotistic elas também falam sobre um relacionamento abusivo e de como as mulheres não devem se adaptar aos homens somente para não querem ficar sozinhas. Muitos afirmam inclusive que AYA é uma derivação dessa música. O grupo gosta muito de falar sobre igualdade e quebrar padrões a própria integrante Hwasa lançou uma música solo de nome Maria, que nada mais é do que uma carta aberta dizendo para ela se amar em meio a tanto ódio que recebe por não se enquadrar nos padrões de beleza da Coreia. E a líder do grupo uma vez disse em uma entrevista: se os garotos podem mostrar o abdômen, porque eu não posso também?



(G)I-DLE: O grupo formado em 2018 pela Cube Entertainment em sua formação atual possui 5 integrantes: Soyeon, Minnie, Miyeon, Yuqi e Shuhua em seu novo conceito, também vem apresentando músicas com conteúdo de empoderamento feminino e quebra de alguns padrões. Tomboy é um exemplo que aborda essa temática. A letra fala sobre agir da maneira que os rapazes não esperam que uma mulher haja, para alguns homens existe um manual de como uma mulher tem que ser e essa música aborda justamente isso, a quebra desses estereótipos, principalmente na Coreia onde esses padrões de como uma mulher dever ser, pensar e agir, são escancarados. A letra fala sobre não ser uma boneca e sim uma rainha. Sobre a mulher ser independente não importa o que os homens achem sobre isso. Tomboy é uma expressão usado para garotas que gosta de atividades que geralmente são associadas a homens. NXDE é um outro exemplo de que o grupo gosta que seu público pense fora dos padrões, nesse mv a maioria das integrantes estão loiras em referência a Marilyn Monroe, atriz norte americana considerada símbolo de sensualidade. A letra fala sobre pensar na nudez sobre a perspectiva de ser algo natural, convida as pessoas a pensarem fora da caixa. E a música segue um fio critico sob padrões de beleza que sempre pendem para sexy ou fofo, que não consideram a inteligência da mulher e o seu empoderamento, a letra fala sobre estar nua e não se importar, algo que quebra os padrões, principalmente na Coreia do Sul em que a maioria das pessoas não falam sobre esses temas tão abertamente. A líder do grupo falou que de fato o Gidle estaria passando por uma espécie de repaginação no seu conceito e usou a palavra renascimento para descrever esse processo.



Muitas vezes ouvimos os grupos e não percebemos que em muitas músicas contem mensagens que nos farão refletir sobre como estamos agimos em sociedade, esses são alguns dos muitos exemplos de grupos de kpop que abraçam e abordam causas sociais em suas músicas e fazem questão de demonstrar isso para pessoas, como forma de inspirar outros artistas a fazerem o mesmo e apoiarem causas em favor de todos esses grupos. Seja no combate a todos os tipos de preconceitos ou com a preocupação com o meio ambiente, são exemplos de ídolos que fazem questão de exercer essa cidadania através do conteúdo que produzem, no caso em suas músicas, ou usando a sua influência para abordar assuntos que ainda são considerados tabus, mas que precisam ser normatizados, pois somente assim será possível combater todos os tipos de discriminações existentes.

Conteúdo exclusivo! Não retirar sem os devidos créditos!

979 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

1 Comment


Aerton Gabriel
Aerton Gabriel
Mar 30, 2023

Que matéria maravilhosa!! Amei demais ❤️❤️❤️

Like
bottom of page