top of page
  • Foto do escritorK-Pop News

BTS como motivador na formação de novos leitores.


Que o BTS (Bangtan Boys) é um fenômeno mundial isso ninguém tem mais dúvida. Desde seu debut em 2013 até o ano de 2023 os artistas colecionam inúmeras conquistas e quebram recordes de visualizações e streamings nas principais plataformas de música no mundo. Porém o que muitos não sabem é o fato de que a popularidade do grupo sul coreano, tem uma influência positiva em estimular o hábito de leitura, principalmente entre os jovens do ensino fundamental 2.


O grupo que possuía em seu conceito inicial um estilo de estudantes que desafiavam o sistema dentro de um cenário escolar, mas que em 2014 com o álbum intimado de Dark Wild, faz a transição desse conceito para algo mais jovem e não tão rebelde assim, dando início assim a uma era mais sentimental e um pouco mais preocupada com a questão da motivação na aprendizagem dos ARMYS. Quando eles passariam assim a usar referências literárias em seus mvs e álbuns, saindo assim da era visual dos garotos a prova de balas (nome literal do grupo traduzido em português), para algo que explorasse mais os sentimentos e emoções humanos é nesse momento partir do ano de 2015 que começam os primeiros indícios de influência de livros em suas composições.


O objetivo do grupo iria muito além do artísticos, as suas músicas também deveriam ter conteúdos educacionais, em que as pessoas pudessem apreender algo enquanto ouvem e apreciam as suas canções, evidenciando dessa maneira que o conhecimento pode e deve ser transmitido para além dos muros da escola ou seja você pode apreender em qualquer lugar, despertando assim a autonomia e a curiosidade do seu público. Quebrando assim diversos tabus no que se refere a aprendizagem formal em escolas. A forma como eles apresentam o conhecimento em suas músicas, tem a responsabilidade de influenciar positivamente a mentalidade das pessoas.


Isso se dá pelas inúmeras referências literárias presentes em suas letras e em seus videoclipes, fazendo assim com que os ARMYS (nome do fandom do grupo) consuma e aprendam, o que especialistas chamam de aprendizado por indução, que nada mais é do que a aprendizagem pela curiosidade e pela motivação de algo ou alguém estar consumindo determinado produto, nesse caso os livros citados em alguns mvs do grupo. O que levou diversos professores no Brasil a desenvolverem trabalhos para motivarem crianças e adolescentes a gostarem do hábito de ler e com a ajuda do BTS.


Antes mesmo da mudança de estilo do grupo já era possível ver algumas referências de livros em seus mvs como por exemplo no álbum 2 Cool 4 Skool é possível encontrar referência a obra filosófica a República de Platão, especificamente nas letras de No More Dream que faz referência a alegoria da caverna que nada mais seria do que pretender exemplificar como o ser humano pode se libertar da condição de escuridão que nesse caso seria a ausência de conhecimento, que o aprisiona, por meio da luz da verdade que seria o conhecimento.


Ainda nessa mesma fase em que o grupo chamou de No More Dream Trilogy é possível encontrar referências ao livro de Alice No País Das Maravilhas e A juventude, os dois escritos pelo autor Lewis Caroll. Já no ano de 2013 e 2014 encontra-se referências aos livros Revolução Dos Bichos (George Orwell) e Demian (Herman Hesse). Herman Hesse também influência nas letras dos álbuns de: Wings, You Never Walk Alone, The Most Beautiful Moment in Life Pt 2 e The Most Beautiful Moment in Life: Young Forever.


Nesse momento com o lançamento do videoclipe Blood, Sweat and Tears, Demian (Herman Hesse) que tem trechos citados no MV se o torna o livro favorito e mais popular entre os ARMYS. Continuando a falar sobre as referências nas músicas dos álbuns The Most Beautiful Moment in Life PT 1 e 2 ainda existem referências a um clássico da literatura Peter Pan e Wendy ( J.M Barrie). Em The Most Beautiful Moment in Life Youth existe influência dos clássicos da literatura Os Três Mosqueteiros (Alexandre Dumas) e ainda há um livro chamado Kafka a Beira Mar escrito por Haruki Muraki um dos autores preferidos do Namjoon, pois ele já leu diversos livros dele, em que nesse livro fala sobre a passagem da vida humana da juventude a fase adulta.


Tudo isso com o objetivo de promover o aprendizado significativo para seus fãs, para fazer com eles procurem justamente esses significados e referências que estão nas letras de suas músicas. Onde o grupo deseja que os fãs desvendem justamente esses significados, como foi o caso do universo de ficção que o grupo abriu com a era Save Me, ao qual o objetivo era ajudar a solucionar mensagens implícitas nas músicas. Esse universo abriu espaço para a criação de uma Webtoon (um estilo de quadrinhos coreanos) que tinha como objetivo criar um universo de ficção para interligar os álbuns aos livros que eram usados como referências nos mvs e nas músicas e quando descobriram esses livros os fãs eram convidados a fazer uma leitura atenta e aprofunda sobre eles para desse modo construir suas próprias interpretações acerca e temas importantes para as pessoas.


Sem falar ainda, quando eles são fotografados com livros nas mãos, fazendo as pessoas se perguntarem que livro é aquele ou qual é o autor, ou sobre o que aquela história se refere e por aí adiante. Fazendo assim surgirem clubes de leituras espalhados por todo o mundo, onde as pessoas se reúnem, para lerem e discutirem livros lidos pelos membros do grupo. Um exemplo aqui no Brasil é o Namjoon Book Club, que teve como objetivo inicial ler os livros lidos por Namjoon, mas que depois se expandiu para os outros membros. O club foi criado em 2021 ainda no auge da pandemia do COVID-19 e além de promover o acesso a cultura, também ajudou na socialização das pessoas, em um momento tão difícil para as. Segundo Pedro Castro o administrador da página no Instagram o objetivo é incentivar os ARMYS a desenvolverem o prazer pela leitura e expandir seu território de leitura não só aos livros do Namjoon ou do BTS, mas fazer as pessoas gostarem de ler motivadas pelas suas próprias escolhas também.



E essas foram algumas das inúmeras referências que o grupo utiliza em suas canções, pois desde do seu ano de debut, até os dias de hoje as composições do grupo são influenciadas por livros, tais livros que irão promover alguma espécie de criatividade e inquietação no pensamento de seus fãs. Somente para dar como exemplo de mais algumas dessas referências. A letra da música Pied Piper tem referência ao livro O Flautista De Hamelin (Robert Browning). Spring Day se referência ao livro Aqueles Que Se Afastam de Omelas (Úrsula K Le Guin). Na canção solo de Jimin Serendipity faz referência ao livro A Flor (Kim Chunsoo), Magic Shoop que se inspira em A Maior De Todas As Mágicas (James R Doty), Anpanman que tem como inspiração a história em quadrinhos de mesmo nome do autor Takashi Yanase, Mic Drop que não é somente um recado aos haters mas também uma alusão ao livro Fábulas Do Esopo (Russel Ash) e assim por diante a lista é praticamente interminável se fizer uma análise detalhada.


E dessa forma o BTS contribui de maneira positiva, para o bom hábito da leitura de muitas pessoas, que motivadas pela curiosidade, desejam saber o que eles estão lendo, isso fica evidente com o aumento nas vendas de livros como Demian, Pachinko, Kim Jiyoung Nascida Em 1982. Sendo esses dois últimos de autores sul coreanos, o grupo promove e quebra barreiras geográficas, ajudando a livros fora do eixo América, Europa a serem promovidos no Brasil, despertando assim a curiosidade pela literatura asiática no que se refere ao Japão também. Fazendo com alguns educadores comecem a rever a forma como abordar o hábito de leitura entre os seus alunos, demostrando que ler livros não precisa ser uma atividade chata ou maçante, mas pode ser algo divertido e inspirador, da mesma forma que inspira e transforma os sete membros do grupo a se tornarem pessoas mais críticas, sensíveis e racionais.


Conteúdo exclusivo

Não retirar sem os devidos créditos!

217 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page