top of page
  • Foto do escritorJéssica Caroline

AS PRODUÇÕES MAIS EMOCIONANTES DE 2022



O ano de 2022 está indo embora, mas ao longo de seus 12 meses desfrutamos de dezenas de dramas e filmes muitos deles nos emocionaram e nos arrancaram lágrimas, por esse motivo, na lista de hoje vamos relembrar algumas dessas produções


Como dizem por aí, hoje o choro é livre. E na última lista de produções coreanas de 2022 trouxemos 10 histórias que fizeram (ou caso você não tenha assistido) que vão fazer você se emocionar e se apaixonar pelos personagens e suas histórias.


PACHINKO



A produção inspirada no livro de Lee Minjin (escritora sul coreana), que se tornou um fenômeno mundial, não poderia estar de fora dessa lista. A série produzida pela Apple TV permitiu há muitas pessoas conhecer um pedaço da dura realidade da construção da Coreia desde o período da invasão japonesa, com foco na vida de milhares de coreanos, que em busca de sobrevivência, abandonaram seu país e se arriscaram no Japão.


A protagonista dessa série é Sunja (vivida pela atriz Kim Minha, quando jovem e Youn Yuhjung na velhice), uma personagem que cresce já em meio a esse mundo de opressão, e movida pelas circunstâncias e necessidades da vida aceita se casar com um pastor que está apenas de passagem pela vila onde ela mora, e cujo destino final é o Japão.



Casada, Sunja deve seguir seu marido, mas a vida no Japão não é em nada melhor do que a vida simples que levava na Coreia. Mas com determinação, ela se mantém firme para enfrentar todas as adversidades que a vida lhe apresenta naquele mundo de incertezas. Até os tempos de calmaria da sua velhice, onde relembra sua própria história.


Mas do que uma história emocionante, os personagens de Pachinko representam pessoas reais, mais precisamente, os coreanos que abandonaram seu lar buscando uma chance de sobreviver; os coreanos que cresceram em terras japonesas, mas sempre foram vistos com desconfiança tanto pelos japoneses como pelo seu próprio povo; e os coreanos que lutam por seu espaço no Japão, mas ainda sofrem com o preconceito em decorrência de sua origem. Essas três figuras representadas respectivamente pela própria Sunja, seu filho Mozasu (Park Sohee) e por fim, seu neto Solomon (Jin Ha).


25/21 (VINTE E CINCO, VINTE E UM)



Para quem gosta de dramas com personagens bem construídos e com sutileza, essa história com certeza conquistou ou conquistará (se você ainda não assistiu) seu coração. Além disso a produção é recheada da nostalgia dos anos 1990, já que é o período em que boa parte da história se passa.


Como a história fala de diversas formas de amor, encontros e desencontros, temos o amor protagonizado por Na Heedo (Kim Taeri) e Baek Yijin (Nam Joohyuk), mas completam também esse protagonismo com enriquecimento de detalhes a garota inteligente Ji Seungwan (Lee Joomyung), e o menino da escola Moon Jiwoong (Choi Hyunwook).



O k-drama acompanha a fase crucial de mudança e amadurecimento de seus protagonistas, cujas vidas se entrelaçam em vários momentos cruciais, apesar de seguirem caminhos diferentes. Começando a partir das lembranças da nossa protagonista, o que faz com que nos identifiquemos muito com ela por conta de sua história que é cheia carregada de felicidade, porém passam rapidamente, por isso se tornam tão preciosos.


E como essa produção se passa ao longo dos anos, é possível ver cada um desses personagens com suas realidades, de alegrias e tristezas sem exagero de interpretações ou diálogos carregados. Até a fase de seu amadurecimento em busca da realização de seus sonhos.


AMANHÃ (TOMORROW)



O drama que talvez seja o mais marcante de 2022 por abordar temas polêmicos que ainda são grandes tabus na sociedade. Com uma abordagem inteligente, os espectadores desse k-drama de 16 episódios são transportados para o mundo dos ceifadores, mas aqui as criaturas míticas da Coreia do Sul, não são aqueles seres frios que aparecem no último suspiro das pessoas.


A "empresa" bem organizada se mantém de olho nas mudanças da sociedade, e obviamente está preocupada com o crescimento do índice de pessoas que tem tirado a própria vida. Por isso, resolvem montar uma equipe cuja missão é derrubar esses índices.



Infelizmente, essa não é uma tarefa fácil, e os três membros dessa equipe (Kim Heeseon como a líder Koo Ryeon, Yun Jion como o membro da equipe Lim Ryunggu e Rowoon como o estagiário Choi Junwoong) terão que enfrentar problemas dentro e fora do trabalho para alcançar o sucesso. Mas o principal dessa história é trazer o despertamento para causas como bullying, decepções, abandono, isolamento e padrões de beleza exagerados.


Além de ser uma mensagem de esperança para muitas pessoas que se encontram nessas situações ao se identificarem com os personagens dessa história, é também um alerta às pessoas para ficarem atentas com os outros a sua volta, podendo atuar como um canal de ajuda ou conforto, não ser um agressor ou intimidador, nem impor aos outros limites impossíveis de serem alcançados, dentre outros alertas importantes.


39 (TRINTA E NOVE)



A história acompanha a amizade de 3 mulheres, que se conheceram na adolescência e mantém a relação até os dias atuais, quando estão com 39 anos. E nessa fase vamos conhecer seus amores, amizades, descobertas, aceitações e momentos de aprendizagem.


As protagonistas são Cha Mijo (Son Yejin), uma médica dermatologista que cresceu em uma família adotiva onde foi muito amada, Jeong Chanyoung (Jeon Mido), uma preparadora de jovens atrizes que estão se preparando para atuar e Jang Joohe (Kim Jihyun), uma funcionária de shopping que sonha em conseguir casar.


A história de 12 episódios realça a construção e manutenção da amizade dessas 3 mulheres, sem disputadas entre elas, como muitas vezes estamos acostumados a ver nos dramas, mas com muita maturidade em um momento da vida em que elas já estão estabilizadas, mas ainda permanecem cheias de sonhos.



A trama garante a sua beleza, mesmo que logo no início seja jogado direto no espectador a realidade da situação: uma das três amigas está com câncer em um estágio avançado e a iminência de sua perda pelas suas amigas, faz com que essa relação e o amor que cerca o trio seja ainda mais aflorado, e não, isso não é um spoiler.


Óbvio que nesse contexto a história rende muitas cenas emocionantes aos espectadores, até porque já no início ela não nega que vai ser brutal, ao mesmo tempo que desejamos uma amizade semelhante, e lindamente contada ao longo de seus 12 episódios.


AMOR E OUTROS DRAMAS (OUR BLUES)



O drama de 20 episódios que chega com o nome de Amor e Outros Dramas, acompanha a vida de um grupo de amigos que vive na Ilha de Jeju e a cada dois episódios temos algum personagem central, onde conhecemos sua história e em cada um desses ciclos descobrimos suas alegrias e tristezas.


Não vale a pena aqui, em um espaço tão pequeno descrever nenhum dos personagens, por isso nenhum deles será citado. Mas o objetivo principal da história é facilmente compreensível, que é mostrar que cada pessoa é especial, e que suas experiências vividas e frustrações compõem sua personalidade e não tiram a beleza de suas vidas ou a sua importância.



A produção com altas doses de realidade acompanha um pedaço da vida de seus personagens com histórias que envolvem desde a relação complicada entre mãe e filho até o alerta importante sobre pessoas com Síndrome de Down, que devem ter os mesmos direitos e oportunidades de qualquer outra pessoa, não sendo menos merecedoras ou capazes.


Apesar de muitas histórias (protagonizadas por muitos atores conhecidos da dramaland), o que para muitos pode tornar a história complicada, a produção se encerra de forma leve, mostrando que as coisas pelas quais os personagens passaram e o ponto em que se encontram, é uma forma de recomeço.


Esse drama é um grande exemplo da nova era de produções da Coreia do Sul, que apostam em personagens mais realistas, com histórias comuns, cujo objetivo é mostrar exatamente a beleza da vida nessa naturalidade, o que faz com que seus espectadores se identifiquem. E mesmo que Our Blues, em especial, não tenha feito muito sucesso dentro da Coreia do Sul, foi um dos grandes nomes internacionais, justamente por essa característica.


O SOM DA MAGIA (THE SOUND OF MAGIC)



O Som da Magia é uma história musical sobre mágica inspirada no webtoon de mesmo nome. Não apenas a mágica feita para encantar e entreter, mas as pequenas coisas do dia a dia que também podem ser carregadas de magia porque nos dão esperança para continuar e perseguir nossos objetivos.


A história acompanha três personagens: Rieul (Ji Changwook), um mágico que vive em um parque de diversões abandonado e para muitos é visto como um adulto que não cresceu; Yoon Ayi (Choi Sungeun) uma estudante pobre que tudo que deseja é crescer para não ser mais oprimida pelos adultos; e Na Ildeung (Hwang Inyeop), um jovem que aparentemente tem tudo na vida, mas vive oprimido pela pressão dos pais e as expectativas das pessoas a sua volta.



Ao longo de seus capítulos vamos acompanhando os sentimentos conflitantes e as situações que cada um desses personagens sofrem, em especial os mais jovens: Ayi e Ildeung. Que apoiados na ajuda e nos ensinamentos do mágico Rieul, ainda que pouco convencionais, vão vendo as coisas de uma forma diferente.


E a magia verdadeira acontece quando esses três personagens se dão conta de que não precisam da aprovação de ninguém para trilhar seus próprios caminhos e obter sucesso. Não um sucesso material ou um prestígio social, mas sucesso por alcançarem a felicidade e se sentirem plenos naquilo que fazem e nos rumos que dão para suas vidas.


GAROTA DO SÉCULO 20 (20th CENTURY GIRL)


O filme que foi um sucesso logo nas primeiras semanas que lançou, também tinha que estar nessa lista. Garota do Século 20 é mais uma história nostálgica que se passa no ano de 1999 e acompanha uma jovem que definitivamente está na melhor fase de sua vida.


O filme faz com que seu espectador se identifique bastante, afinal a história começa a partir de uma lembrança da protagonista Na Bora (Kim Yoojung) que viaja no tempo, em suas memórias (algo semelhante a 25/21, mas que não perde sua beleza original). E quem não guarda boas memórias que daria tudo para revivê-la não é mesmo?



É então que vamos conhecer nossa protagonista aos 17 anos, quando ela se envolve num quarteto amoroso em meio a descoberta do primeiro amor e o valor da amizade.


Aqui não há grandes intrigas, rivalidade feminina ou masculina, mas sim, mais uma vez é uma história sobre a representação de várias formas de amor, como o amor entre a família, amor entre amigos e o amor romântico. Esses amores que não necessariamente dão certo e seguem conosco por toda a vida, mas nos marcam com boas lembranças e momentos, e são esses elementos que nos seguem.


BULGASAL: ALMAS IMORTAIS



A história que mistura elementos de drama de época, com fantasia e suspense. Com cenários deslumbrantes e figurinos de época impecáveis a história começa em uma Coreia selvagem ainda habitada por monstros perseguidos por guerreiros que tem a responsabilidade de captura-los.


Um desses homens é Dan Hwal (Lee Jinuk), que aparentemente leva uma vida normal, mas também sente o peso de uma maldição que desperta quando ele é morto e tem sua alma tirada.


Após perder a família e ser amaldiçoado pela imortalidade, Hwal leva séculos vivendo solidariamente e perseguindo a pessoa que tomou sua alma. Mas ao encontrar a pessoa que tanto procurava, essa criatura cruza o caminho com almas de seu passado, e a partir daí, ele forma uma família nada convencional com essas pessoas.



A história de fantasia demonstra, através dessas relações pouco prováveis, que almas que estão destinadas a se encontrarem, terão os caminhos cruzados e se reconhecerão mesmo após inúmeras reencarnações.


Mas independente de acreditar nesse ponto de reencarnação, o espectador acaba se apaixonando por esses personagens cuja aliança atravessa séculos, e em especial, a luta pelo amor dos protagonistas que remonta de milênios atrás, e enfrenta vidas e vidas para poder se realizar.


UMA ADVOGADA EXTRAORDINÁRIA (EXTRAORDINARY ATTORNEY WOO)



Como esquecer o que talvez seja um dos maiores dramas do ano de 2022, se não o maior. Uma Advogada Extraordinária acompanha a história de Woo Youngwoo (Park Eunbin), uma jovem autista com uma inteligência muito acima da média, que acaba contratada por um grande escritório de advocacia.


Mas como tudo na vida de nossa querida protagonista, provar para seus colegas de trabalho que ela é capaz, será uma tarefa difícil, mas pouco a pouco cada um deles começa a notar que a limitação não está em Youngwoo, mas no preconceito que cada um deles tem diante dela.



Ao longo de 16 episódios disponíveis na Netflix, é possível se apaixonar por essa protagonista determinada, que está descobrindo novas experiências, inclusive as emoções do primeiro amor, enquanto precisa lidar com os mais variados casos no ambiente de trabalho.


E uma curiosidade, a história é inspirada no filme Innocent Witness, sobre uma autista que se torna a única testemunha de um crime, e cujo sonho é se tornar advogada, mas acredita que é impossível devido ser parte do espectro autista.


PAPEL DE RAINHA (THE QUEEN'S UMBRELLA)



O drama pode estar até cotado como comédia, mas não se engane, porque ele é muito mais do que isso. Obviamente dramas sageuk nunca deixam de aparecer no calendário do dorameiro com histórias emocionantes e intrigas políticas. Mas Papel de Rainha, que recebeu esse nome na Netflix tem uma abordagem um pouco diferente.


Mesmo em meio às intrigas do reino e as maldades de alguns membros da família real, o foco da história é uma mãe determinada e corajosa que faz de tudo para proteger e cuidar de seus filhos, mas também de todos que ela ama e que estão a sua volta. A atriz Kim Hyesoo, uma veterana de dramas, assume o papel dessa rainha e mãe e é também o grande motor dessa trama.



Seus cinco filhos são príncipes, e o mais velho, em especial, é o herdeiro ao trono real em plena Dinastia Joseon. Mas cada um deles tem suas particularidades, como personalidades bem distintas, e objetivos diferentes, mas sempre estão aprontando alguma coisa, o que funciona como alívio cômico para a história, mas ao mesmo tempo deixa a rainha de cabelos em pé de tamanha preocupação.


Por outro lado, a rainha também se mostra uma mulher muito à frente de seu tempo, inteligente e flexível, ela compreende cada um de seus filhos, suas escolhas e necessidades, por conta disso, ela está disposta a protege-los de toda maldade do mundo, mas sem deixar de corrigi-los, como uma boa mãe sabe fazer, garantindo momentos emocionantes para quem assiste essa história que nada mais é do que a representação pura do amor de uma mãe.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page