top of page
  • Foto do escritorRami

A bolha da Dramaland estourou


Parece que foi ontem que vi um teaser de uma novela coreana no facebook, fornecida pela falecida dramafever, plataforma onde era possível se afundar no mundo coreano. Foi assim comigo, apesar do estranhamento inicial da linguagem e o padrão de beleza asiática as histórias eram capazes de me segurar por horas, até o momento que percebi que não consumia quase mais nenhum conteúdo ocidental.


Procurando uma explicação pra esse "vício" que me trouxe até aqui, que me fez sentir como se fizesse parte de minha própria cultura, eu achei explicações. É comum que os dramas reflitam valores sociais, fidelidade romântica e amor pela família e amigos, e os dramas com uma temática mais profunda e modernos abordam estigmas culturais como problemas de saúde mental, sexismo e homofobia. Não importa o motivo, desde anos não me vejo sem acompanhar um drama coreano e depois de tanto tempo enquanto meu costume era considerado no mínimo diferente, nos dias de hoje vejo muito mais pessoas estão passando pelo mesmo processo que passei alguns anos atrás, se apaixonar pelas novelas coreanas.



O papel da pandemia

Quando a pandemia interrompeu a vida das pessoas mudou e devido ao isolamento muitos recorreram ao entretenimento para explorar o mundo além dos limites de suas casas. E talvez nenhum país tenha brilhado mais nos holofotes globais como a Coreia do Sul com seu reconhecido investimento no entretenimento. Os K-dramas foram reconhecidos por terem alto valor de produção, histórias intensas e muitas vezes cativantes e atuação de qualidade que ajuda a construir uma conexão emocional entre os personagens e o público. Eles também tendem a consistir em uma tarefa mais amigável do que programas de TV ocidentais (nudez e sexo são praticamente inexistentes, por exemplo), tornando os K-dramas mais acessiveis ​​para uma ampla gama de faixas etárias e países, especialmente aqueles que são socialmente mais conservadores. Ao mesmo tempo, a narrativa ousada e habilidosa com a qual os K-dramas abordam questões sociais, lutas pessoais e temas universais como família, amizade e amor criam um conteúdo atencioso que ressoa com o público além das fronteiras geográficas. Para ser mais clara, os K-dramas nos fazem sentir menos sozinhos e muitas vezes exploram com sucesso nossas experiências e emoções humanas compartilhadas.


Onda Hallyu

As sementes para o crescimento da onda Hallyu, o sucesso do entretenimento coreano pelo mundo, foram plantadas antes mesmo da pandemia. O governo sul-coreano foi a principal fonte que ajudou a estabelecer as bases para a crescente onda coreana, desenvolvendo ainda mais a infraestrutura de transmissão do país e permitindo que os programas competissem entre si.


A onda do K-drama também se expandiu muito rapidamente fora da Ásia, na América Latina, muitos espectadores foram atraídos para K-dramas em grande parte devido às suas cenas carregadas de emoção e tramas intrincadas, que eles consideraram semelhantes às suas novelas. Também ajudou o fato de as emissoras sul-coreanas supostamente venderem alguns de seus melhores K-dramas para estações de TV latino-americanas por apenas US$ 1 por episódio, tornando-os muito mais acessíveis do que as novelas, que geralmente custam milhares de dólares por episódio. A abordagem deliberada das emissoras coreanas para promover o conteúdo coreano em toda a América Latina valeu a pena.


Como foi dito anteriormente graças em grande parte a plataformas de stream como Viki e DramaFever, tornaram possível para os espectadores assistir legalmente a conteúdo coreano online com legendas em inglês, os K-dramas começaram a ganhar força no Ocidente durante a década de 2010. Essas plataformas também formaram relacionamentos de distribuição com Netflix e Hulu, o que lhes permitiu atingir ainda mais audiências. Depois que a Warner Bros., que adquiriu a DramaFever, encerrou abruptamente o serviço em 2018, a Netflix começou a investir pesadamente em K-dramas e estreou sua primeira série original coreana, o zumbi K-drama Kingdom, em janeiro de 2019 com grande aclamação.


O papel da Netflix em estourar a bolha

O sucesso dos dramas na Netflix está sendo impulsionado por seu catálogo de conteúdo, mas também pelo desenvolvimento de conteúdo coreano original, algo que os artistas locais acham atraente. Mas a Netflix também está reformulando os dramas coreanos de outra maneira – ajudando a promover Hallyu no exterior de uma forma que talvez nenhuma empresa sul-coreana pudesse. A Netflix acabou se tornando o canal principal que apresenta conteúdo coreano para pessoas de todo o mundo.


Curiosamente, conforme os dramas e filmes coreanos lentamente se tornaram mais populares no exterior pela plataforma, as pessoas inicialmente alegaram que o sucesso estava relacionado à inocência do conteúdo coreano. Alternativamente, o conteúdo coreano nos encheu com a emoção de um primeiro beijo ou o momento em que dois personagens favoritos finalmente deram as mãos enquanto caminhavam por um beco romanticamente iluminado.


XO. KItty

A comédia romântica americana XO, Kitty, que se passa em Seul, foi bem recebida na Coreia do Sul desde seu lançamento na semana passada, mas os telespectadores sul-coreanos foram às redes sociais para apontar retratos irrealistas da vida em seu país no programa. Entre as cenas do drama adolescente que não teriam acontecido na vida real estavam as muitas representações de beijos na biblioteca da escola, o que teria trazido a ira dos bibliotecários sobre os culpados.


É incrível que nossos gostos que antes eram considerados peculiares aos poucos está ganhando o mundo. Existem sempre as pessoas contra a popularização de seu gostos, com medo de uma mudança repentina. Sim, do mesmo modo que a Netflix popularizou os kdramas ela tbm tem muito a aprender para manter o público antigo e trazer novos sem perder a essência do nosso tipo favorito de novela, nossos amados doramas.


Fontes: 1|2|3|4|5

234 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page